Confira!

[366 Filmes] Tempo de Matar – (54/366)

Filme-Tempo-de-Matar

Ainda bem que quando eu decidi encarar esse desafio de filmes, eu decidi que eu poderia incluir filmes já vistos… filmes que vi durante minha infância por exemplo, ou mesmo adolescência, e que hoje eu provavelmente terei um “Melhor” olhar sobre os mesmos.

Graças a isso, eis que caiu na minha lista um filme que “nossa!!!” eu devo ter visto pela última vez no finalzinho da década de 90, e que pelo o que pude perceber nos primeiros 10 minutos da história, tanta coisa eu havia confundido ou esquecido… então valeu muito a pena parar e rever novamente esse filme…

“Tempo de Matar” (1996), é um drama dirigido por Joel Schumacher, com Sandra Bullock, Samuel L. Jackson, Kevin Spacey, Octavia Spencer, Oliver Platt e Matthew McConaughey no elenco.

Sinopse: Em Canton, no Mississipi, dois brancos espancam e estupram uma menina negra de dez anos. Eles são presos, mas quando estão sendo levados ao tribunal para terem o valor da sua fiança decretada o pai da garota (Samuel L. Jackson) decide fazer justiça com as próprias mãos e mata os dois na frente de diversas testemunhas, além de acidentalmente ferir seriamente um policial. Ele é preso rapidamente, mas a cidade se torna um barril de pólvora e, além do mais, a defesa tem de se defrontar com um juiz que não permite que no julgamento se mencione a razão que fez o pai cometer o duplo homicídio, pois o julgamento é de assassinato e não de estupro.

Um filme que devo definir como EMOCIONANTE do inicio ao fim. São diversas e opostas emoções que você acompanha nessa história.. pena, rancor, solidariedade, ódio, revolta, amor, piedade, amizade, tolerância, absorvição… tudo isso e muitos outros quesitos conseguimos sentir ao longo de todo o filme. Destaco aqui a revolta e o sentimento de “pena” que senti em grande parte dessa produção.

Eu havia esquecido de como o elenco é querido e talentoso. E de como essa história pode mexer com a gente!
Não darei nenhum detalhe sobre essa história, acredito que citar todas as emoções que o filme nos faz sentir, pode ser um dos melhores atrativos para essa história, que aliás, abre um importante debate, mesmo se passando a exatos 20 anos, algumas coisas não mudaram.

Um excelente filme! Chorei… chorei muito! O filme, e um certo discurso ao final do longa são poderosos e nos desperta uma importante reflexão!

Anúncios
Sobre Bruno Vieira (760 artigos)
Estudante de Comunicação Social – Publicidade, tem 27 anos e adoraria se lembrar do primeiro filme que viu em sua vida, mas o que passa em sua mente são flashs de sessões da tarde, com muitas aventuras, romances e filmes de terror da década de 80 e 90. Aprendeu a amar e se emocionar ( e tem prazer em chorar ) com o gênero drama. Gosta de comédia e ação e adora musicais e fantasia. Outro amor são as animações, filmes de heróis e tudo aquilo que faça qualquer um viajar com o poder da imaginação. Se identifica muito com o personagem Woody (Toy Story) pelo o quanto ele valoriza e faz pelas amizades. Um herói? Claro… O Homem-Aranha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: