Confira!

[Contos] Pinocchio & Inteligência Artificial: O Conto Clássico e o Conto Moderno

 

Pinocchio-e-inteligencia-artificial

Difícil não falar de uma obra, sem lembrar da outra… ao menos é esta a exata situação que nos encontramos quando conferimos e nos emocionamos com as duas.

 –
 –
No conto clássico, Pinocchio (1940) da Disney, conhecemos a mágica e fantasiosa história de um boneco feito de madeira que sonhava em ser um menino de verdade. Não há criança que tenha crescido sem conferir tal animação ou mesmo ouvir essa famosa história. História que é dada como exemplo, para fazer crianças pequenas aprenderem as consequências de mentir.
 
Em Inteligência Artificial (2001), conhecemos uma releitura do mesmo conto, só que moderna… futurística. Não é uma adaptação ou mesmo um filme que tenha se prendido aos mesmos conceitos e acontecimentos. É uma história tão criativa quando o conto original, ou do apresentado no clássico Disney. De certa forma, a nesse conto moderno uma aproximação muito maior do que se pode um dia acontecer.
Em um conto conhecemos Gepeto, um marceneiro de meia idade, solitário e que constrói um boneco de madeira ao qual cuida e se dirige como filho. Certa noite Gepeto deseja de todo coração a uma estrela (a Fada azul), que aquele boneco fosse um menino de verdade… fosse seu filho. É esta, a sensação que temos. Que Gepeto não queria estar/viver sozinho… queria que aquele boneco na verdade fosse um filho, para ocupar sua até então, vida solitária.
 –
No conto moderno, conhecemos Monica Swinton, uma mãe do tipo que transborda instinto materno, que tem um filho em estado “vegetativo”, dado por alguns como já morto. Mas com os avanços da ciência, Monica não perde a esperança de seu filho sair do estado em que se encontra.
Então seu marido, cansado de ver Monica sofrer pela falta de um filho, e sabendo que eles não poderiam ter um outro filho, resolve dar a Monica um Androide (Robô) Filho… David. É com muita resistência que Monica resolve aceitar a presença de David, e aos poucos “aceitar” ser a Mãe de David.
 –
Pinocchio, enquanto boneco de madeira, ganha da Fada Azul uma “Consciência” (O Grilo Falante), que ajuda a Pinocchio a descobrir o certo e o errado, assim como algumas vezes tende a não “ouvir” sua consciência.
 –
David, ganha de sua mãe, o Ursinho, Teddy, que era de seu filho antes de ficar doente e entrar em estado vegetativo. É Teddy quem se torna um dos principais amigos e porque não dizer… Consciência de David, o ajudando a entender coisas que um simples robôzinho não entenderia sozinho.
 –
Quando a Fada Azul da vida a Pinocchio, também o diz que se comportar e aprender certos valores, poderá ser Um Menino de verdade. E é nesta jornada que Pinocchio adentra. Entre perigos, tentações e enganos, Pinocchio vai fazendo o errado e aprendendo o que era o certo.
 
David por sua vez, descobre que não pode competir pela igualdade do amor maternal de um “Menino de verdade”. O Filho do casal ao se recuperar, se torna de certa forma para David, o principal vilão de sua vida até então.
 –
É ao ver que nunca será amado como um “menino de verdade” como o filho verdadeiro de Monica Swinton, e que agora se encontra num terrível destino e solitário… David decide procurar a Fada Azul, lembrando da História de Pinocchio, que Monica contava para ele e Teddy. David acredita com de todo o coração que a Fada Azul poderá fazer ele se tornar um menino de verdade.
 
As lições que Pinocchio aprende no decorrer de sua aventuresca e perigosa jornada, o faz aprender diversas lições, assim como se sacrificar por quem se ama. Pinocchio vai longe e se arrisca para salvar seu pai, Gepeto. E com isso demonstra ter grandes valores.
 
David, assim como Pinocchio se encontra numa perigosa jornada, só que ao invés de aprender a discernir coisas, David precisa a todo custo se salvar da extinção e/ou eliminação. Mas o desejo de David, o mentém focado a encontrar a Fada Azul a qualquer custo. E nesta triste jornada, David faz algumas tristes e desanimadoras descobertas sobre sua espécie robótica.
 –
Se no clássico conto, nos emocionamos com Pinocchio sendo presenteado pela Fada Azul, por ser um bom boneco de madeira e digno de ser um Menino de Verdade…
 –
No conto moderno nos emocionamos com o triste desfecho de David, quando finalmente se encontra num verdadeiro túnel sem saída, mas com uma luz no fim do túnel… a presença do que ele acredita ser a Fada Azul.
É emocionante ver como David passa o resto de sua vida, ao lado de seu fiel único amigo, Teddy, desejando com todas as suas forças, que a Fada Azul o faça ser um menino de Verdade, para que sua mãe o ame.
 –
No desfecho de Pinocchio, vemos Gepeto realizar o seu tão profundo desejo de ver Pinocchio ser um menino de verdade. E com isso… um belo e repleto fim cheio de boas lições.
 –
No surpreendente e melancólico fim do conto de David, vemos milhares de anos se passarem e uma raça alienígena encontrar David e fazer uso de sua memórias. E através da imagem da Fada Azul, contar a David sobre não ser possível realizar seu sonho. Da para imaginar o que é falar a uma criança que ela nunca se tornará algo que tanto deseja? Mesmo sendo um robô, este era programado para ser, agir e pensar como uma criança… um filho.
 –
A Espécie alienígena assume sua forma verdadeira e explica tudo o pode a David, e por um pequeno detalhe de sua vida, David descobre que pode ter um dia…
Exatas 24 horas para viver ao lado de sua mãe, Monica Swinton mais uma única vez. E é ai que David aceita essa chance e vive um único dia como um menino de verdade, e tem assim o dia mais feliz de toda a sua existência, ao lado de sua tão amada mãe.
– 
The End.
 –
Enfim, não há mais o que se comparar, ao chegar nesta triste conclusão da história, acabo me encontrando novamente emocionado com ambos os contos, e sinceramente?
Doido para conferir e sofrer novamente com Inteligência Artificial.
 –
Espero que tenham gostado, ou mesmo que notem outras comparações dos contos e compartilhe com a gente!
Por Bruno Vieira.
Anúncios
Sobre Bruno Vieira (761 artigos)
Estudante de Comunicação Social – Publicidade, tem 27 anos e adoraria se lembrar do primeiro filme que viu em sua vida, mas o que passa em sua mente são flashs de sessões da tarde, com muitas aventuras, romances e filmes de terror da década de 80 e 90. Aprendeu a amar e se emocionar ( e tem prazer em chorar ) com o gênero drama. Gosta de comédia e ação e adora musicais e fantasia. Outro amor são as animações, filmes de heróis e tudo aquilo que faça qualquer um viajar com o poder da imaginação. Se identifica muito com o personagem Woody (Toy Story) pelo o quanto ele valoriza e faz pelas amizades. Um herói? Claro… O Homem-Aranha.

1 comentário em [Contos] Pinocchio & Inteligência Artificial: O Conto Clássico e o Conto Moderno

  1. Delícia de matéria =’) Obrigado de coração !

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: