Confira!

[Especial] A Hora do Pesadelo 2 – A Vingança de Freddy (1985)

pSg0pKYwamUY2Jbua4CwLWC7p3K

Em 1985 Freddy ganhou sua primeira continuação, sem a participação de Craven. David Chaskin assumiu o roteiro, enquanto a direção ficou por conta de Jack Sholder. Fora Robert Englund, nenhum ator do original retornou. Englund chega a aparecer sem maquiagem na cena de abertura, quando Freddy se passa pelo motorista de um ônibus escolar.

A trama se passa cinco anos depois do filme anterior, mostrando a família Walsh se mudando para a antiga casa de Nancy, que é citada na história, quando descobrimos que ela ainda está viva, mas enlouqueceu. Jesse (Mark Patton), o adolescente da família, encontra o diário de Nancy no quarto que agora é dele, e lendo os relatos de Nancy vai descobrindo mais sobre Freddy.

Este segundo capítulo da saga é considerado de maneira justa por muitas pessoas como um dos piores da série. Ao invés de continuar a matar as pessoas através dos sonhos, Freddy se concentra em atormentar apenas Jesse em seus pesadelos, pedindo para que o garoto mate por ele. No fim das contas, Freddy na verdade possui Jesse de uma maneira nunca explicada. Num primeiro momento pensamos que Freddy toma o corpo de Jesse quando este cai no sono, mas logo Freddy assume o controle mesmo com Jesse acordado. Até a possessão é duvidosa, pois em algumas cenas Freddy literalmente sai de dentro de Jesse.

Seus ataques são da mesma forma inexplicáveis, com Freddy manipulando o mundo real da mesma maneira que controla os pesadelos, e em muitos momentos sem nem mesmo estar controlando Jesse. E, em todo momento, o vilão eleva o calor de maneira insuportável para todos, no que aparenta ser uma citação ao modo que Freddy morreu.

A conclusão do filme é piegas toda vida, com a namorada de Jesse, Lisa (Kim Myers, que mais tarde encararia os Cenobitas em Hellraiser: A Herança Maldita), lutando contra Freddy e tentando libertar Jesse ao mesmo tempo. O jovem, é claro, se liberta graças ao poder do amor, e o casal se une novamente. Seria um final feliz, se no fim das contas essa continuação não copiasse a ideia do filme anterior, com todos caindo novamente nas garras de Freddy, desta vez dentro de um ônibus escolar, remetendo à primeira cena do filme.

A Hora do Pesadelo 2 tentou inovar em algumas coisas, mas falhou miseravelmente. De marcante só teve a primeira visita no mundo real ao local de trabalho de Freddy quando vivo, o mesmo local onde levava suas vítimas.

A maquiagem de Englund foi alterada não alcançando um bom resultado, em alguns momentos deixando claro demais que se tratava de uma máscara, sendo poeticamente ineficaz justamente no filme onde Freddy usa a pele de outra pessoa para voltar à ativa.

Outro elemento alterado de maneira desnecessária foram as garras de Freddy. Jesse acha a luva no mesmo local onde a mãe de Nancy a guardava. Em certo momento, Jesse a joga longe, e Freddy acaba fazendo com que garras cresçam em sua mão em substituição à luva. O problema é que durante o filme Freddy várias vezes se manifesta sem que Jesse estivesse com a luva próxima, e mesmo assim o assassino aparecia com ela. Ou seja, uma mudança sem sentido algum.

HQManiacs

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: